Miami

Miami – Bar Hopping em South Beach

Se voce já me conhece sabe que além de eu não saber aonde fica o acento circunflexo no meu teclado, eu também adoro fazer um bar hopping (ou bar cruisin ou pub crawling ou qualquer outro termo em qualquer outra língua que significa ir de bar em bar sem um objetivo específico em mente). Mas quem eu to querendo enganar? As duas únicas pessoas que leem esse blog já me conhecem.

Eu descobri o bar hopping como a arte de conhecer melhor uma cidade enquanto conhece uma quantidade interessante de pessoas esquisitas, ou uma quantidade esquisita de pessoas interessantes dependendo do lugar, enquanto ganha muitos drinks por conta da casa e fura muitas filas por estar sozinha (e, sejamos sinceros, de ser mulher. Mas a feminista que não tira uma lasquinha de algumas oportunidades inofensivas, que atire a primeira pedra).

Eu nunca fiz uma atividade em grupo de pub crawling, como essas que toda cidade tem (link aqui pra voce encontrar uma em São Paulo) e por isso me considero uma autodidata no assunto. Eu podia dedicar esse tempo e talento pra ser autodidata em outra língua ou pintura em porcelana, mas dedico a arte de sair sozinha e pular de bar em bar. Isso sempre funcionou pra mim, porque eu sempre gostei de me sentir invisível pra fazer people watching e ficar na minha enquanto tomo uns drinks na cia do meu kindle. Sem contar que a melhor forma de conhecer pessoas é bebendo, e a melhor forma de conhecer um lugar é a pé, então vejo isso como matar dois coelhos figurativamente.

Enough talking, vou usar esse nada explorado, ou lido, espaço pra oferecer de bandeja um roteiro cuidadosamente curado de bar hopping em South Beach, Miami.

  1. The Standard

Já que voce não tem amigos em Miami (ainda), vamos começar a beber cedo porque depois da praia e das compras não sobra muito o que fazer em Miami Beach (já que em Wynwood eu escrevi um roteiro pro dia inteiro aqui nesse post). Então coloca um vestido e passe um hidratante na parte interna da coxa caso voce também seja a orgulhosa dona de um par de coxas saudáveis que se encostam quando andam no calor de Miami, um sapato bem confortável e um dinheirinho pra comprar cerveja de happy hour a 3 dólares e uma igualmente barata sangria e vá para o The Standard.

Lá na verdade é um hotel com SPA, mas ao chegar na recepção diga que está indo tomar um drink no bar e eles te direcionam para o longo corredor similar a muitos Drive-Ins do Brasil, com árvores suspeitas fazendo um corredor que levam a quartos privativos, até chegar ao restaurante. Lá uma parte é restaurante e outra é bar, mas não posso te dizer se a comida é boa porque eu levo esse bar hopping a sério e as únicas comidas que fazer parte são petiscos durante os drinks ou Mc Donalds da madrugada. Quando a sua sangria chegar voce pode estranhar a falta de personalidade numa jarra que traz duas rodelas de limão siciliano, mas prometo que tem gosto de Sangria.

Mas o motivo de eu fazer voce andar até o comecinho da Venetian crossway pra beber num bar é simplesmente pela contemplação do por do sol. Poucos em Miami são mais bonitos que esse. Quando o por do sol acabar, voce vai ter graduado na fase um do curso de bar hopping, e já pode ir em direção ao bar #2, que vai ficar a uma boa caminhadinha (diria uns 15-20 minutos) de distancia, e por isso recomendo ir pela Lincoln Road para se distrair.

2. Raleigh Martini Bar

Prepara suas palavras de gratidão porque essa dica é de ouro se voce adora se sentir o cliche do consumidor de bons coquetéis que senta num bar intimista e chora as mágoas para o bartender. Bartender não. Mixologista.

A primeira vez que eu fui no Raleigh, me encantei com o atendimento. As pessoas que trabalham lá não são pagas só pra fazer coquetéis incríveis baseado em uma simples pergunta “what don’t you like?”, mas também pra fazer voce sair de lá se sentindo um especialista em coquetel. O atendimento é bom em um nível que na minha segunda visita além de eu sair de lá sabendo todas as razões que levaram o mixologista e a noiva, Ana, a saírem de Chicago e mudar para Miami, eu também saí de lá com o telefone da Ana e outras dicas de bares fora do circuito turístico para ir em Miami Beach. A próxima, inclusive, é uma delas.

Ah, quando for no Raleigh, cuja entrada fica na Collins St., aproveita para pegar um drink e ir para a área da piscina, que fica nos “fundos” do hotel, mais conhecido como Beachfront. O lugar e realmente uma delícia. Só que pra pegar um drink no Raleigh Martini Bar tem que cer cedo, por isso ele foi nossa parada #2.

3. Sweet Liberty

Saindo do Raleigh, anda mais duas quadras e chega no Sweet Liberty, que cai na mesma categoria de lugares pra ir pra tomar um bom cocktail. Por isso não vou entrar no mérito do lugar ser legal, da música ser boa ou das pessoas serem bonitas porque eu honestamente estava bem concentrada em escolher uma bebida. O Sweet Liberty costuma ser aonde os mixologistas e bartenders de Miami vão quando eles querem beber, o que levanta a barra de exigencia dos drinks. E seguindo a mesma lógica do Raleigh, basta voce dizer o que voce gosta (ou não gosta) e um drink bem agradável vai chegar pra voce. A minha resposta é sempre a mesma – Gosto de qualquer coisa entre o Gin e o Bourbon, e o resultado é sempre incrível.

4. Bodega Lounge

Entre o Sweet Liberty e o Bodega Lounge tem mais várias possibilidades de bar hopping. Afinal Miami é o paraíso de quem adora ir em vária baladas e ser julgada pelos promoters através do seu perfil do instagram, que decidem se voce pode ou não entrar na lista deles. Da última vez entre esses dois últimos da nossa lista eu passei por mais uns 3, mas como aquela altura eu já tinha tomado ao menos 3 drinks (risos) alguns foram se apagando da memória e nem tudo eu lembro de por no Instagram, pela graça de Buddha e sorte de voces. Então vamos direto falar do Bodega porque desse eu nunca esqueço.

O Bodega é um bar que quer ser Speakeasy mas não é muito. Na frente tem uma lanchonete deliciosa de comida mexicana, com uma porta pixada de banheiro químico. É nela que voce vai entrar pra sair dentro do bar. Nas sextas e sábados costumam formar fila, mas como voce está sozinha e de batom é bem possível que o segurança te passe na frente. Depois de passar por um corredorzinho com mictórios para homens de 3 metros de altura, voce chega no bar. Ele tem uma decoração incrível com lareira, lustres, mesa de sinuca com feltro vermelho e um grande e luminoso sinal escrito Love Me, Fuck Me. How cute…

O atendimento não é dos melhores, mas se até agora voce estava se perguntando se eu não vou em nenhum bar que tenham outras pessoas pra interagir, era esse bar que voce estava esperando. O Bodega já tem um aspecto mais de balada, com música mais alta do que o necessário pra conseguir conversar em tom de voz normal. Bartenders que não estão interessados no que voce tem achado do clima de Miami. E um público que fala coisas do tipo “Oh cooool, you’re brazilian. Do you know Joao Doria?” em seguida de “I work for a brazilian artist, do you know Romero Britto?”.

Talvez voce fique bem feliz em saber que na frente do Bodega tem um Mc Donalds 24 horas. Por nada.

About the author

Related Posts

2 Comments

  • Narjara julho 17, 2017 at 4:55 pm

    Leio, acompanho tudo!!! Fã, do aeroporto, um lugar que tem tudo a ver com você! Ciganinha do coração.

    Reply
    • Maria Fernanda Lima julho 17, 2017 at 5:42 pm

      Ai amiga linda, que delicia ver voce por aqui. Muito obrigada <3

      Reply

Leave a Reply

Deixe uma resposta